quarta-feira, 21 de março de 2012

ESTUDO ISIS - 2


Na última sessão, discutiu-se o clássico estudo ISSIS -2, publicado na Lancet em agosto de  1988, cujo objetivo fora o de avaliar os efeitos combinados e separados da estreptoquinase (SK), numa infusão de 1 UM  durante 60 minutos e aas 160mg, por 5 semanas em pacientes com suspeita de IAM. O presente estudo fora desenhado através da randomização de 4 grupos : SK versus AAS versus SK + AAS versus placebo.
Foram analisados um total de 17187 pacientes, cujo critério de elegibilidade seria ter até 24h do inicio da apresentação dos sintomas. As reduções na mortalidade vascular e em todas as causas de mortalidade, que tenham sido demonstradas para SK e para administração oral de AAS, são ambos bem definidos e os benefícios pareceram ser em grande parte, independentes uns dos outros. Embora, os efeitos pareçam maior entre os pacientes tratados mais rapidamente, fibrinolise parece produzir algum benefício, mesmo entre aqueles tratados até 24 horas do início da dor.
Da análise estatística infere-se que o grupo de pacientes com IAM apresenta um risco de morte vascular de: 10,4% para SK; 10,7% para AAS; 8% para SK e AAS em comparação com 13,2% do grupo placebo. Adicionalmente, o número de pacientes que é preciso tratar(NNT) para se prevenir morte vascular no IAM, comparado com placebo é de : 35 para SK, 41 para AAS e 19 para combinação de SK e AAS.



ADRIANO CHAVES DE ALMEIDA FILHO
MR1 CARDIOLOGIA - HSR